CCVB
 
Escolha o Idioma
 
LOGIN ÁREA RESTRITA
 
 
 
 

Paiol apresenta o samba erudito do Trio Quintina

« Voltar

 

O Trio Quintina apresenta nesta quarta e quinta-feira (19 e 20), no Teatro do Paiol, o espetáculo “Samba Erudito”, tendo como convidada especial a cantora Virgínia Rosa. No show, o grupo interpreta canções de

Paulo Vanzolini, ao mesmo tempo em que contextualiza vida e obra deste intelectual do samba e erudito da música popular brasileira. 

Para o espetáculo, os músicos curitibanos convidam uma das mais competentes intérpretes contemporâneas do compositor, Virgínia Rosa. Parceira musical de Itamar Assumpção e cantora identificada com o samba paulista, Virgínia participou, alguns anos atrás, do registro definitivo da obra de Vanzolini: a caixa com quatro CDs intitulada Acerto de Contas (Biscoito Fino). A pesquisa de repertório e conteúdo em geral ficou a cargo do jornalista, tradutor e professor de literatura Christian Schwartz, que participa do espetáculo também cantando parte das canções selecionadas.

Paulo Vanzolini é um pesquisador e acadêmico das ciências naturais e das artes. Doutor pela Universidade de Harvard, é um herpetólogo (especialista em répteis) de renome internacional, professor da Universidade de São Paulo e diretor por mais de 30 anos do Museu de Zoologia dessa instituição, além de autor de uma das teorias mais revolucionárias sobre o surgimento da Amazônia, uma de suas paixões. Mas suas credenciais no samba conseguem levá-lo ainda mais longe. Vanzolini, que compôs cerca de 70 sambas ao longo da vida, questiona uma categorização fundamental e limitadora: a separação entre música erudita e música popular. 

Repertório - A seleção de músicas apresentada procura comprovar que, na vida e na obra, Vanzolini foi um erudito mas também um autêntico boêmio paulistano, veterano da noite desde os anos 40, quando, fazendo o policiamento do baixo meretrício da capital paulista como soldado da polícia do Exército, em pleno pós-Guerra, imaginou seu mais famoso sucesso, “Ronda”. O show contempla o lado cronista de Vanzolini, especialmente no set de abertura, com participação, nos vocais, de Christian Schwartz.

O repertório também ilustra outros aspectos da biografia e da música de Paulo Vanzolini: logo de início, a já mencionada profundidade filosófica de algumas letras, como a do próprio “Samba Erudito” e as de “Leilão” e “Tempo É Espaço”; o humor boêmio de “Carinha”, “Maria Que Ninguém Queria” e “Juízo Final”; o lugar de Vanzolini no samba paulista, em contraponto feliz à produção de seu amigo e contemporâneo Adoniran Barbosa, a quem homenageou em “Seu Barbosa”; por fim, sua ligação profunda, como cientista e artista, com o interior do Brasil, em “Capoeira do Arnaldo” (levada, no show, pela viola caipira de um dos jovens músicos mais talentosos de Curitiba, Leandro Delmonico, da banda Charme Chulo).

Para contar essa história, a direção artística do espetáculo também usará textos – do próprio Vanzolini, autor do livro de poemas Tempos de Cabo, e de outros escritores identificados com sua trajetória. Além disso, recorrerá a trechos do documentário Um Homem de Moral, do diretor Ricardo Dias, em especial ao breve depoimento de Vanzolini – agora o cientista – em plena mata amazônica, num tributo à cultura regional que mais o fascinou em suas andanças pelo Brasil. É quando entra em cena a cantora convidada, Virgínia Rosa, interpretando a toada do sertão mato-grossense “Cuitelinho”.

Daí em diante, ao assumir o comando do espetáculo, Virgínia interpreta clássicos universais do samba, como “Amor de Trapo e Farrapo” e “Quando Eu For Eu Vou Sem Pena”, e as melodias de “Pedacinhos do Céu”, choro de Waldir Azevedo para o qual Vanzolini levou trinta anos bolando uma letra, e “Valsa Sem Fim”. O espetáculo caminha para o final em clima de celebração, em especial, em “Samba Abstrato” e na apoteose de “Volta Por Cima”, cujos versos já viraram sabedoria popular.

O show conta com a direção cênica de Márcio Abreu e Nadja Naira, integrantes da Cia Brasileira de Teatro e parceiros do Trio Quintina no seu trabalho anterior, o celebrado Show/DVD “Cyrk”.

 

Serviço:

Show “Samba Erudito: Trio Quintina convida Virgínia Rosa”

Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho

Data e horário: dias 19 e 20 de fevereiro de 2014, às 20h30

Ingressos: R$ 20 e R$ 10

 

Ficha técnica:

 

Gabriel Schwartz: flauta, sax, percussão e voz

Gustavo Schwartz: guitarra, cavaco, percussão e voz

Fabiano Silveira (Tiziu), violão de 7 cordas e voz

Christian Schwartz: pesquisa e cantor

Virginia Rosa: cantora convidada

Luís Rolim: músico convidado

Leandro Delmonico: músico convidado

Marcio Abreu: direção artística

Nadja Naira: direção/iluminação

Luciana Falcon: direção de produção

Edran Mariano: assistente de produção

Cristine Conde: figurinista/elementos de cena

Chico Santarosa: técnico de som

Yana Seara: designer gráfico

 


Fonte www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

 


 
 
SOBRE CCVB   CURTA CURITIBA E REGIÃO   ASSOCIADOS   EVENTOS
Sobre o CCVB
O que são os CVBx
Equipe Executiva
Programas e Serviços do CCVB
Sala de Imprensa
Estrutura
Trabalhe com Turismo e Eventos
 
Curta Curitiba e Região
Sugestão de Roteiros
Guia Prático
Aplicativos
Programa Curta Curitiba
Atrativos Curitiba e Região
Sou Curitiba
Programa Vem Ver Curitiba
 
Conheça os Associados
Sobre os Associados
Programa CCVB só pra Você
Campanha Eu apoio Room Tax/Doação para o Turismo
Seja um Associado
Promoções e descontos
 
Realize seu evento em Curitiba e Região
Nosso apoio para seu evento
Locais para o seu evento
Prestadores de serviços
Curta Curitiba mais 2 Dias
Agenda de eventos
Cadastre seu evento
Relatórios
             


Fale conosco: 41 9 8738-1177(WhatsApp) | curitibacvb@curitibacvb.com.br